Coronavírus | 10 Dicas do que fazer para se Proteger

O mundo está abalado com o novo Coronavírus, aprendendo lições enquanto vive o drama de tantos infectados e mortes. Como podemos nos proteger? Vamos falar a respeito!

Coronavírus. Certamente essa palavra ficará em nossas mentes e nas lembranças mais angustiantes e tristes por toda a vida.

É uma crise em escala mundial e que ainda está em estágio de avanço após o começo, há cerca de quatro meses na cidade de Wuhan, na China. No país o número de infectados já chegou a cerca de oitenta mil, com cerca e três mil mortes.

Hoje em dia, a Covid-19 – doença transmitida pelo novo vírus – tem números assustadores na Itália, na Espanha e no Irã, além de um forte crescimento na França, na Alemanha, nos Estados Unidos, no Brasil e vários outros países.

Governos se preparam para um aumento geral de casos e cada país terá a sua curva de contágio de acordo com as próprias medidas de segurança que forem adotadas.

Praticamente todos estão adotando o bloqueio de entrada de estrangeiros, lockdown (paralisação completa) em várias cidades, suspensão de aulas e determinando o confinamento das pessoas.

Mas como cada um de nós pode se proteger e contribuir com a saúde do próximo?

Vamos falar sobre as medidas de proteção mais importantes e que são o começo de uma jornada para que todos nós estejamos bem no final.

Nesse artigo sobre curiosidades, você verá:

01 – Mas afinal: o que sabemos sobre o novo coronavírus?

02 – Existem grupos de risco para a Covid-19?

03 – Como a Covid-19 pode ser transmitida?

04 – A Covid-19 é uma doença fatal?

05 – Quais os sintomas da Covid-19?

06 – Estou com sintomas da Covid-19. Devo ir a um hospital?

07 – Qual é o tratamento para a Covid-19?

08 – Como podemos nos prevenir contra o Covid-19?

09 – Por que o isolamento contra o Covid-19 é tão importante?

10 – O confinamento não precisa ser tão negativo. Veja como lidar com ele!

1 – Mas afinal: o que sabemos sobre o novo coronavírus?

Podemos dizer que sabemos pouco daquilo que o grande público possa entender a respeito desse novo vírus – sintomas, tratamento, riscos e outros pontos ainda estão sendo pesquisados.

Apesar do nome moderno, o coronavírus atual é um descendente de uma família antiga, que começou a se manifestar nos anos 1930.

Até o momento, cientistas concluíram que o surto do novo vírus começou em mercados de animais vivos e frutos do mar na cidade chinesa de Yuhan e foi oficialmente identificado em 31 de dezembro de 2019.

Vírus mais antigos da família foram responsáveis por duas epidemias importantes nas últimas décadas: a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS) causada pelo MERS-CoV e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) causada pelo SARS-CoV.

Uma certeza é a que sempre temos ao surgir novas ameaças à nossa saúde: o coronavírus veio para ficar, como todo e qualquer vírus.

O que vai mudar, ao longo do tempo, é o nível de letalidade, as regiões onde vai se concentrar e quanto tempo a ciência levará para descobrir um tratamento para a doença provocada pelo novo vírus – a Covid-19 – e para desenvolver a vacina.

Portanto, é um momento em que a informação é essencial, pois tudo que se relaciona a esse novo vírus ainda é muito recente.

2 – Existem grupos de risco para a Covid-19?

Sim, alguns grupos podem desenvolver quadros mais graves da doença e ter complicações que podem levar à morte. Alguns deles são pessoas com:

  • Idade a partir de sessenta anos (todas);
  • Hipertensão;
  • Diabetes;
  • Insuficiência renal, respiratória ou cardiovascular;
  • Neoplasia (câncer);
  • Doenças imunodepressoras (AIDS e outras);
  • Histórico de viagem a um local com epidemia de Covid-19;
  • Contato recente com pessoa infectada ou que viajou a local com epidemia.

Outros quadros podem ser incluídos nessa lista, mas vai depender da opinião médica. Portanto, se tiver dúvidas se a sua doença merece uma atenção maior, deve consultar o seu médico ou buscar.

Para essas pessoas, é fundamental que não tenham contato com a doença ou, se não for evitado, elas devem procurar o serviço médico urgentemente.

Por outro lado, a doença pode atingir pessoas de todas as idades.

As crianças são indivíduos que têm a forma mais branda e normalmente chamam a atenção com os sintomas, então o socorro é mais imediato.

Porém, elas também podem ser pacientes assintomáticos e isso é arriscado para o contato com pessoas dos grupos de risco.

3 – Como a Covid-19 pode ser transmitida?

Essa doença é transmitida pelas formas mais tradicionais da gripe.

  • Contato com as secreções de pessoa contaminada por espirros, tosse, catarro e gotículas de saliva;
  • Contato pessoal – apertos de mão, abraços e contato íntimo;
  • Contato com superfícies contaminadas.

O risco é ainda maior se, após ter esses contatos, a pessoa levar a mão ao rosto, à boca e aos olhos. É um cenário onde não há como prever a probabilidade – pessoas infectadas estão por toda a parte, em maior ou menor quantidade.

Portanto, os cuidados de prevenção são fundamentais.

Essa lista de possibilidades de transmissão não está fechada, os pesquisadores estão avaliando de há outras formas.

4 – A Covid-19 é uma doença fatal?

De uma forma geral, não. Ela trará um quadro que deve ser tratado e curado e, na grande maioria dos casos, a doença regride após quatorze dias.

Porém, ela pode evoluir para sintomas mais graves e o cuidado deve ser imediato e hospitalar, principalmente para as pessoas que estão nos grupos de risco, pois as complicações colocam elas em situação de risco.

5 – Quais os sintomas da Covid-19?

A Covid-19 se desenvolve inicialmente com sintomas idênticos a um resfriado ou gripe comuns, porém com a possibilidade de evoluir para quadros respiratórios graves.

Normalmente a manifestação da doença começa com uma febre intermitente entre 37 e 38 graus. Outros sintomas são:

  • Tosse seca
  • Cansaço
  • Coriza
  • Dores no corpo
  • Congestão nasal
  • Dispneia (dificuldade para respirar)
  • Dor de garganta

Esses são os sintomas principais e já foram relatados casos com náuseas e vômitos. Cada pessoa pode apresentar parte dos sintomas e até mesmo não apresentar febre.

Seu tempo de incubação – período entre o contato e a primeira manifestação – é de nove dias média em um espaço de dois a quatorze dias.

Para acompanhar as novidades sobre essa pandemia e os números brasileiros, existem muitos canais confiáveis, entre eles as Secretarias de Saúde dos estados e o Ministério da Saúde.

6 – Estou com sintomas da Covid-19. Devo ir a um hospital?

Em primeiro lugar, preste bastante atenção aos sintomas, pois eles podem ser de um resfriado ou um quadro leve da doença.

Nesse caso, faça o tratamento em casa e acompanhe a evolução. Ir a um hospital pode colocar a própria pessoa em risco de ser contagiada por pacientes que estarão lá.

Os médicos entendem que a tosse seca, a coriza e a dificuldade de respirar, juntos e associados ou não à febre, são indícios da Covid-19 que exigem atendimento médico de emergência.

Por isso, é fundamental acompanhar a evolução dos sintomas e fazer o tratamento inicial . Na maioria dos casos, não haverá uma evolução e, portanto, isso será o suficiente.

7 – Qual é o tratamento para a Covid-19?

Se a pessoa sentir febre, tosse seca, cansaço e coriza – todos ou apenas alguns deles – a recomendação médica é:

  • Ficar em casa e em isolamento absoluto pelo período de quatorze dias;
  • Usar analgésicos e antitérmicos tradicionais, se forem necessários;
  • Manter-se em repouso, sem fazer esforço;
  • Ingerir bastante água e outros líquidos;
  • Tomar banho quente (no caso de tosse e dor de garganta);
  • Usar o umidificador (se necessário);
  • Manter o ambiente naturalmente ventilado;
  • Manter-se a pelo menos 2 metros de distância de qualquer pessoa;
  • Não ter contato físico com outras pessoas;
  • Lavar separadamente os objetos pessoais da pessoa – roupas, talheres, copos;
  • Ir imediatamente ao atendimento médico caso surjam sintomas de insuficiência respiratória ou complicações de uma médica pré-existente.

Se o quadro de sintomas evoluir, a pessoa deve procurar um atendimento médico imediatamente.

 

Casos registrados de Covid-19 até 24 de março de 2020

Fonte: Jornal Estado de São Paulo

8 – Como podemos nos prevenir contra o Covid-19?

Existe uma série de atitudes simples que devemos adotar para evitar a Covid-19. Elas devem ser adotadas se não houver confinamento compulsório, ou seja, se as pessoas puderem circular livremente fora de casa.

  • Se for tossir ou espirrar, cubra a boca ou nariz com lenço ou use o braço dobrado;
  • Use lenço descartável para higiene nasal;
  • Evite tocar ou esfregar as mãos no rosto;
  • Não toque as mucosas do nariz e da boca e os olhos;
  • Não compartilhe objetos pessoais;
  • Limpe o ambiente regularmente e mantenha ventilado;
  • Lave as mãos com água e sabão por, no mínimo, 20 segundos, em todas as partes e até pouco depois do pulso, sempre que chegar em casa ou estiver saindo;
  • Fora de casa, use o álcool em gel para limpeza das mãos;
  • Evite lugares movimentados, com multidões ou filas;
  • Mantenha os ambientes ventilados, proporcionando a circulação de ar;
  • Evite ao máximo os ambientes hospitalares e farmácias;
  • Faça a higiene tão logo tenha usado maçanetas e botões de elevador.

Pelo que vemos acima, são medidas que normalmente seriam tomadas para evitar gripes, mas a Covid-19 é uma doença cujas formas de transmissão não são totalmente conhecidos.

Portanto, é fundamental que acrescentemos outros cuidados, como por exemplo o cuidado com compras de mercado – lavar frutas, verduras e legumes assim que chegar, transferir produtos de sacos para potes, lavar embalagens antes de guardar – e também com encomendas recebidas.

O coronavírus vive apenas algumas horas em uma superfície – uma caixa de correio, por exemplo. Mas ela pode ter sido exposta a ela minutos antes de ser entregue.

9 – Por que o isolamento contra o Covid-19 é tão importante?

O novo coronavírus ainda não é totalmente conhecido nas suas formas de transmissão e até mesmo a sua taxa de transmissão de seis – para quantas pessoas saudáveis uma infectada pode transmitir – não é um número definitivo.

Diante disso, a melhor forma de evitar o contágio é manter distância mínima e segura das demais pessoas – estima-se que dois metros.

Porém nas cidades, especialmente as grandes, têm vários pontos de multidão – transportes, centros comerciais, empresas e outros. Seria impossível cumprir essa distância, já que os transportes e os espaços têm seus limites.

Por esses motivos, é fundamental que as pessoas fiquem o máximo de tempo em suas casas, saindo apenas para atividades essenciais – mercado, farmácia, médicos – e evite aglomerações e reuniões em casa.

Diversas empresas, dos setores não essenciais, criaram o home office para seus funcionários, como uma força de reduzir ao máximo a circulação de pessoas, reduzindo os riscos de contágio e assim ajudando a preservar a saúde deles e de suas famílias.

Em termos de Brasil, a tendência é que o confinamento residencial cresça nas próximas semanas, pois o ciclo do Covid-19 está começando no país e é preciso que ele seja o menor possível e com um momento de pico com poucos casos e mortes.

10 – O confinamento não precisa ser tão negativo!

Veja como lidar com o isolamento do coronavírus!

Certamente, estar isolado em casa por semanas não é uma experiência comum para as pessoas. Temos um mundo lá fora com inúmeras responsabilidades e prazeres e eles vão ficar suspensos, pelo menos aqueles onde precisamos estar pessoalmente.

Mas ficar confinado, nesses tempos de globalização e internet, pode ser menos estressante e até mais leve do que imaginamos. Por que não?

Para quem está em home office, muitas horas do dia já serão dedicadas ao trabalho e, em tempos de incerteza com o futuro, e importante termos boas práticas para manter a produtividade.

Mas o que podemos fazer para aproveitar as horas livres – ou todas do dia, dependendo da pessoa – e passar por esse momento único e crítico da forma mais saudável possível para o espírito e a mente?

Vamos dar algumas dicas preciosas.

Estudar online

Atualmente são muitas as plataformas com conteúdos para cursos de praticamente todos os assuntos.

A qualidade técnica é muito boa, muitos têm um preço extremamente baixo e podemos encontrar cursos gratuitos.

Plataformas como a Udemy e a Descomplica são ótimas opções.

Você pode organizar seu tempo e conseguir fazer aquele curso que a correria do dia a dia não está deixando.

Jogar pôquer online

Esse é um dos esportes da mente que mais crescem em popularidade – e onde você também tem a chance receber prêmios. O número de casas e site de pôquer na internet é cada vez maior no Brasil.

>> Se ainda não sabe como funciona, veja este guia sobre como jogar poker

E duas desconfianças foram derrubadas com o tempo: a qualidade visual e a segurança dos dados.

As melhores plataformas investem muito nesses quesitos, pois sabem que eles são fundamentais para atrair o público.

Você pode se divertir a qualquer hora do dia e ainda se aventurar em torneios de pôquer como o PAPT que é patrocinado por uma das maiores empresas do setor, a Bodog.

E com um benefício: é um jogo que exercita muito o raciocínio lógico, a visão estratégica e a rapidez de decisões.

Em tempos de trabalho em casa, em um ambiente mais relaxado, certamente vai ajudar a aumentar o foco nos assuntos e melhorar o desempenho profissional.

Além de manter contato com o mundo e fazer novas amizades.

Colocar projetos em dia

Quantos livros, físicos e digitais, você guardou para um dia ler? O confinamento é a sua chance de colocar a leitura em dia e ganhar mais conhecimento.

E aquela coleção de discos que você se promete catalogar e guardar de forma organizada? Ou fazer a tão sonhada triagem das roupas para doar algumas.

Uma boa passeada pela casa, onde costumamos andar nos mesmos lugares todos os dias, pode revelar possibilidades de mudanças e melhorias que o dia a dia não permite olhar.

Basta colocar a criatividade em dia. E tempo para isso não vai faltar!

Como vimos nesse artigo sobre o Coronavírus, o mundo vai vivenciar algo completamente novo com a Covid-19 e, como esperado, não estamos preparados para tantas informações, novidades e decisões em tão pouco tempo e para algo dessa magnitude.

Estar bem informado e cuidar da mente e do espírito são deveres de casa fundamentais para todos nós, que queremos sair mais fortes dessa experiência tão forte e inesperada.

Andre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *